julho 20, 2010

Sem nada esperar:


Aceitamos os nossos amigos tais como são, mesmo discordando de certos "furos" deixados, quase escritos à mão, em risadas proféticas de alegria.
São nosso braço forte em ventos tempestivos, a voz firme no despertar de objetivos e a palavra doce em chuvas que a tristeza, por vezes, insiste ruir.

Fotos em dias felizes que se multiplicam alegres em mim.

julho 15, 2010

Jaco Pastorius

Compartilhando o que eu estou escutando hoje num dia chuvoso e de muito trabalho.

julho 14, 2010

Sinceridade é Primordial! (será?):

video

Recebi de uma amiga (Gi Freire), preciso compartilhar (sem POBREMAS, né?).
Só para descontrair, um pouquinho de sinceridade não faz tão mal assim...

julho 13, 2010

O Mestre Paulo Moura:

















"(...)Sendo eu de origem africana, nunca tive dificuldade de entender o jazz, sua sensibilidade, sua expressividade blue. Mas, tive dificuldade em ser aceito pela bossa nova. E por isso, sempre tive com ela uma ligação ambivalente, admiração e afastamento. Como uma criação da zona sul do Rio, branca e estilizada, manteve em seus grupos apenas a presença de uma bateria quase estilizada, excluindo ritmos e artistas negros de suas formações. Os instrumentos percussivos, referência ao samba, perderam a vez. Nada de pandeiros, tambores, ganzás... nada que lembrasse a mãe África. Nem mesmo pela cor de seus instrumentistas de sopro, como eu.


Por isso tem um doce sabor de ironia a minha paixão por Gershwin e Jobim. Tão branquinhos, e tão amarrados no sabor negro (...)".

Para mais, CLIQUE AQUI.

Texto extraído do original: "Por que imaginei um encontro entre Gershwin e Jobim?"
Paulo Moura - Programa do SESC São Paulo
06/1998

julho 12, 2010

Dzi Croquettes




A trajetória do irreverente grupo carioca Dzi Croquettes, que marcou o cenário artístico brasileiro nos anos 70. O conjunto contestava a ditadura por meio do deboche e da ironia e defendia a quebra de tabus sociais e sexuais. O grupo é lembrado por depoimentos de artistas e amigos como Liza Minnelli, Ron Lewis, Gilberto Gil, Nelson Motta, Marília Pêra, Ney Matogrosso, Betty Faria, José Possi Neto, Miéle, Jorge Fernando, César Camargo Mariano, Cláudia Raia, Miguel Falabella, Pedro Cardoso e Norma Bengell.

Créditos: Tatiana Issa e Raphael Alvarez
roteiro: Tatiana Issa, Raphael Alvarez
fotografia: Tatiana Issa, Raphael Alvarez
montagem: Raphael Alvarez
elenco
Claudio Tovar, Ciro Barcelos, Bayard Tonelli, Rogerio de Poly, Benedito Lacerda, Gilberto Gil, Nelson Motta, Marília Pêra, Ney Matogrosso, Betty Faria
produtor:
Tatiana Issa, Raphael Alvarez
produtora:
TRIA Productions, Canal Brasil
110 minutos
color e p&b, digital


Victor Brecheret












BRECHERET foi um artista que viveu até meados do século XX e que, embora participante e responsável pelos movimentos artísticos de maior importância no contexto do Brasil de sua época, em momento algum deixou de ser um escultor de formação clássica e ao mesmo tempo um pioneiro até sua morte, o que à primeira vista pode parecer paradoxal.

Clássico na sua formação, na sua técnica extremamente apurada de profundo conhecedor do seu "metier" fundem-se no artista o artesão e o criador de obras monumentais.


Exposição:

Brecheret - Mulheres de Corpo e Alma

Até 25/07/10

A mostra tem como tema os corpos e bustos femininos criados por Brecheret. São 60 esculturas com tamanhos variados.

MUBE, Rua Alemanha, 221, Jardim Europa, São Paulo, 2594-2601 - 10h/19h - Ter. a dom. Grátis!

julho 07, 2010

Dica de hoje:


Bem GELAAAAAAAAAAAAAAAAADA, acompanhada de bons amigos e risadas contagiantes!
Ph. Bia Pêggas
Objeto desejado: "Terezópolis Gold esfumaçando"!
Local: Rua do Ouvidor, num fim de semana de sol com muito samba, em pleno Rio de Janeiro.

julho 06, 2010

Frida COMO LE GUSTA Kahlo






















Hoje, um 06 de julho em que se comemora o nascimento da pintora mexicana Frida Kahlo, sugiro um filme de fotografia belíssima, com direção de Julie Taymor, de 2002.

Em "Frida", o destaque é para a relação complexa e duradoura com seu mentor e marido, Diego Rivera, passando por seu controverso caso com Leon Trotsky e seus provocantes envolvimentos românticos com outras mulheres. Frida Kahlo levou uma vida intensa e sem limites: uma revolucionária política, artística e sexual.











maio 25, 2010

maio 21, 2010

Menino, Menina

Menino, Menina

Adriana Partimpim

Menina, menino
Não deixe de amar
O amor é o que há
Começa quentinho,
E pode queimar
O amor amplifica
O amor simplifica.

Gerador do motor
de revolucionários
O amor sempre estará
Louco para amar

Menina, Menino
Não deixe de amar
O amor é o que há
Começa quentinho,
E pode queimar.
O amor modifica
O amor pode ficar.

abril 11, 2010

Feliz, feliz!























Nada sabemos da alma
Senão da nossa;
As dos outros são olhares,
São gestos, são palavras,
Com a suposição de qualquer semelhança
No fundo.

Trecho
Fernando Pessoa



abril 06, 2010

O melhor da vida
















Para conseguir a amizade de uma pessoa digna é preciso desenvolvermos em nós mesmos as qualidades que naquela admiramos.

Sócrates.


Ph. Bia Pêggas

E a vaca...é pela falta de Lhama!

março 16, 2010

A grande loucura:


















Eu estava dormindo e me acordaram

E me encontrei, assim, num mundo estranho e louco...
E quando eu começava a compreendê-lo
um pouco, Já eram horas de dormir de novo!

Mário Quintana

março 02, 2010

A sentir a brisa.








Querida Clarice:

Que impressão me deixou o seu livro*!
Tentei exprimi-la nestas palavras:

– Onde estivestes de noite
Que de manhã regressais
com o ultramundo nas veias,
entre flores abissais?

– Estivemos no mais longe
que a letra pode alcançar:
lendo o livro de Clarice,
mistério e chave do ar.

Obrigado, amiga! O mais carinhoso abraço da admiração do

Carlos (Drummond)

* Onde estivestes de noite.


Dica de leitura, por Carlos Drummond de Andrade.

fevereiro 26, 2010

Nascente



















Senhora de minha vida
Agora e sempre salvadora
Agora e sempre esperança
De sempre eterna subida.

(techo de "Nascente")
Francisco Medeiros J. Nunes

janeiro 29, 2010

Minha Certeza













Sempre Criança

Menino, vem, vou te levar pra ver
paisagens pra brincar,
não vais querer crescer:
Veja quem vai nos levar
por esse pedaço de céu.
É o meu cavalo Carrossel...

Com o teu jeito de criança,
vais teimar com o vento,
e rir das marcas dos teus pés pelos caminhos.
E um dia já distante,
em uma janela da cidade,
lembrarás desses campos,
com saudades...

Rosa Clement, © 2001

janeiro 09, 2010

Amores e Alegrias











Muitas vezes os nossos relacionamentos de amizade são uns fracassos porque somos imaturos. Amigos não são o que imaginamos, mas o que eles são e com todos os defeitos. Amizade é processo de maturidade que nos leva ao verdadeiro encontro com as pessoas que estão ao nosso lado. Elas têm todos os defeitos, mas fazem parte da nossa vida e não a trocamos por nada deste mundo. Isso porque temos alma de cristão e aquele que tem alma de cristão não tem medo dos defeitos dos outros, porque sabe que aqueles defeitos não serão espelhos para nós, mas seremos um instrumento de Deus para ele superar esse defeito.

Pe. Fábio de Melo

dezembro 22, 2009

A Pimenteira...















A pimenteira sobre a mesa
colorida de vermelho,
Brincou tanto em formas breves,
pintando cores
em outros desejos.



novembro 27, 2009

Uma vida e um trecho de Quintana






















Considerem-me um Duchamp

que se levanta do chão,
com alpacas viradas
de rodas
em bicicletas invisíveis.
Considerem-me
uma criança
caída,
na pele que descasca
as ideias de Basquiat.
Considerem-me um anjo
pintor...
Incandescente estrela
matutina de Michelângelo.
Se por vezes
me coroasses
na fraqueza de cada um dos tais
exclamados
de tensão,
seria eu uma sensível
tensão da cor de uma
Arte visível, que se mostra
na imagem
de ser
também: humano!

Bia Pêggas
Ph. Fil, tentando voar...

Não coma a vida com garfo e faca.
Lambuze-se !
Muita gente guarda a vida para o futuro.
Mesmo que a vida esteja na geladeira,
se você não a viver, ela se deteriorará. É por isso que tantas pessoas se sentem emboloradas na meia-idade. Elas guardam a vida,
não se entregam ao amor,
ao trabalho, não ousam,
não vão em frente. Não deixe sua vida ficar muito séria,
saboreie tudo o que conseguir:
as derrotas e as vitórias,
a força do amanhecer e a poesia do anoitecer. Com o tempo,
você vai percebendo que para ser feliz
você precisa aprender a gostar de si,
a cuidar de si e,
principalmente,
a gostar de quem também gosta de você.

(Vida, Mário Quintana).

novembro 10, 2009

novembro 09, 2009

Sem perfume

Eu vi todo o seu receio
e chorei.
Chorei porque vi
seu amor
tão completo e não me entreguei.
Só as flores se entregam tanto assim.
Só as flores cantam perfumes
aos beija-flores
em cantos de jasmim.

A Paixão segundo G.H

“Estou desorganizada porque perdi o que não precisava? Nesta minha nova covardia – a covardia é o que de mais novo já me aconteceu, é a minha maior aventura, essa minha covardia é um campo tão amplo que só a grande coragem me leva a aceitá-la –, na minha nova covardia, que é como acordar de manhã na casa de um estrangeiro, não sei se terei coragem de simplesmente ir. É difícil perder-se. É tão difícil que provavelmente arrumarei depressa um modo de me achar, mesmo que achar-me mesmo seja de novo a mentira que vivo.”

Publicado em 1964.
Autora: Clarice Lispector.
Para saber mais, clique.

Qual é sua fome?






















Fotografias em planos diferentes: Bia Pêggas

outubro 26, 2009

Em maio de 2003
















Foto antiga com todos os meus amigos e D. Ivone Lara, grande sambista.


Aos amigos que me seguem e os que me veem ou acompanham de algum modo: ficarei um pouco afastada, por motivos de trabalho.
Saúdo a todos que me visitam e curtem este blog.
Deixem os recados, lerei com maior prazer e responderei, assim que possível.
Grande abraço a todos!
Bia.

outubro 09, 2009

Mosaico

A palavra mosaico origina-se do termo "mosaicon"que significa "musa", algumas fontes traduzem como " paciência das musas".
Esta arte teve origem nas antigas civilizações como o Egito e a Mesopotâmia.

Ph. Bia

outubro 05, 2009

Live in Rio:


Escola de Artes Visuais do Parque Lage
Rio de Janeiro/ Brazil.
Para saber mais, Clique aqui.
Ph. Bia Pêggas

setembro 29, 2009

Holocausto no Cinema: A Lista de Schindler:

O diretor Steven Spielberg (O Resgate do Soldado Ryan) conta a história de um empresário alemão que usou seu dinheiro e conexões para libertar judeus de campos de concentração, em plena 2ª Guerra Mundial. Com Liam Neeson, Ralph Fiennes e Ben Kingsley.

Vencedor de 7 Oscars.

Para saber mais, clique aqui.


Silêncio profundo para parir o som:


Eu quero tudo que não é onipotência.
Eu quero encarar a fragilidade.

I want all that is not omnipotence.
I want to spread fragility open.

Imagem: acrílica, espátula, secante sobre placa.
Bia Pêggas.

setembro 28, 2009

Mário Quintana muito mais colorido:


Não coma a vida com garfo e faca.
Lambuze-se !
Muita gente guarda a vida para o futuro.
Mesmo que a vida esteja na geladeira,
se você não a viver, ela se deteriorará.

É por isso que tantas pessoas se sentem emboloradas na meia-idade.

Elas guardam a vida,
não se entregam ao amor,
ao trabalho, não ousam,
não vão em frente.

Não deixe sua vida ficar muito séria,
saboreie tudo o que conseguir:
as derrotas e as vitórias,
a força do amanhecer e a poesia do anoitecer.

Com o tempo,
você vai percebendo que para se feliz
você precisa aprender a gostar de si,
a cuidar de si e,
principalmente,
a gostar de quem também gosta de você.

(Vida, Mário Quintana).

Imagem: Acrílica, crayon, ranhuras, pastel seco sobre canson 280g.

setembro 26, 2009

setembro 21, 2009

Sossega,coração!Não desesperes!


"Sossega,coração!Não desesperes!
Talvez um dia,para além dos dias,
Encontres o que queres porque o queres.
Então,livre de falsas nostalgias,
Atingirás a perfeição de seres [...]".

Fernando Pessoa.

Imagem: Acrílica, nanquim, secante, crayon cobre canson 280g.
Bia Pêggas.

setembro 19, 2009

Bar do Juca:

Laranjeiras/ RJ, saiba mais.
Para quem vier pela Cidade Maravilhosa.
Cerveja Original gelaaaada,amigos na mesa, poesias de boteco saindo fresquinhas e risadas sem fim. Isso também é viver com Arte.

Ph. com celular, de alguém psicografando depois de uns "goles"...

Verde, em verdes sentidos:


Cliptórium elegante,
diafragma quase fechado,
estouro de vento,
sem entrada de luz.
A alma
pintada de preto
em verde traduz.

Ph. Bia Pêggas.

setembro 16, 2009

Escravidão:


As correntes que me prendem,
não são palpáveis,
de ferro ou cobre,
Nem se podem ver
elas são,
antes de tudo,
as correntes da ignorância.

Imagem: Acrílica, carvão, pastel seco, nanquim, crayon, photoshop, cross sobre canson 280g.
Bia Pêggas

Saiba mais sobre a Escravidão no Brasil.

setembro 15, 2009

Quase um Siron:


Acesas luzes
em graves distâncias
Matizes
iluminadas
num Siron mais denso aqui.
Faço delas
minha casa,
faço a casa que há em mim
num Siron mais denso,
enfim.

Imagem: Acrílica, pastel seco, crayon, espátulas, secante, vieux-chene, photoshop e cross.
Bia Pêggas.

setembro 13, 2009

Auf, auf:















Dedicado ao "Biro", dog da Gika Freire.

Imagem: "the dog ainda on the table", Bia Pêggas.
Nanquim, photoshop, cross and "auf,auf".

Frô:


A Florzinha não murchou.
Foi o vento que levou.
A flor linda de amor,
que meu coração achou.

Imagem: Canetinha, nanquim, photoshop, cross.

Bia Pêggas.

My red.


Reservado para fins estritamente pessoais.

Imagem: Canetinha, nanquim, photoshop, cross.

setembro 12, 2009

De um sorriso só.


De mãos dadas com a saudade,
queimando a lenha no fogão,
vejo o ribeirão cheio de flores
em jardins de ninguém.
Dizendo as cores dos poetas,
fazendo impressos sorrisos
frágeis
querendo ficar tão breve,
que num espaço
de enganos se fizeram entender.

Imagem: nanquim sobre canson 280g.
Bia Pêggas.

Estranho é não CRIAR:
























Senti o sol feliz,

senti a palavra dita
no desabafo da redoma sacerdotal.
Todos aqueles
que me deram sorrisos,
apressados se foram
com as frases lacrimais.
Apressados se foram
como fossem menos animais.

Obra dedicada a Basquiat.
Acrílica, crayon, pastel seco, vieux-chene sobre canson 280g > Bia Pêggas.

Dobra, dobra, às duras:

É só um rabisco!
Mas, rabiscos não têm nome.
Eu também sei ser galeria.

Imagem: Acrílica, espátula, secante, vieux-chene e verniz sobre papel canson 280g.

Círio de Nazaré:

HISTÓRIA DO CÍRIO:

A devoção a Nossa Senhora de Nazaré teve início em Portugal. A imagem original da Virgem pertencia ao Mosteiro de Caulina, na Espanha, e teria saído da cidade de Nazaré, em Israel, no ano de 361, tendo sido esculpida por São José. Em decorrência de uma batalha, a imagem foi levada para Portugal, onde, por muito tempo, ficou escondida no Pico de São Bartolomeu. Só em 1119, a imagem foi encontrada. A notícia se espalhou e muita gente começou a venerar a Santa. Desde então, muitos milagres foram atribuídos a ela.

No Pará, foi o caboclo Plácido José de Souza quem encontrou, em 1700, às margens do igarapé Murutucú (onde hoje se encontra a Basílica Santuário), uma pequena imagem da Senhora de Nazaré. Após o achado, Plácido teria levado a imagem para a sua choupana e, no outro dia, ela não estaria mais lá. Correu ao local do encontro e lá estava a “Santinha”. O fato teria se repetido várias vezes até a imagem ser enviada ao Palácio do Governo. No local do achado, Plácido construiu uma pequena capela. Em 1792, o Vaticano autorizou a realização de uma procissão em homenagem à Virgem de Nazaré, em Belém do Pará. Organizado pelo presidente da Província do Pará, capitão-mor Dom Francisco de Souza Coutinho, o primeiro Círio foi realizado no dia 8 de setembro de 1793. No início, não havia data fixa para o Círio, que poderia ocorrer nos meses de setembro, outubro ou novembro. Mas, a partir de 1901, por determinação do bispo Dom Francisco do Rêgo Maia, a procissão passou a ser realizada sempre no segundo domingo de outubro. Tradicionalmente, a imagem é levada da Catedral de Belém à Basílica Santuário. Ao longo dos anos, houve adaptações. Uma delas ocorreu em 1853, quando, por conta de uma chuva torrencial, a procissão – que ocorria à tarde – passou a ser realizada pela manhã.


Imagem: acrílica, secante, nanquim, caneta colorida, pastel sobre papel.
Bia Pêggas

setembro 11, 2009

Se me desses uma chance:




















Não falo de um amor gasto, pois o aflito chão de descanso felino
Não mata a fome de um ator no cio.
Não grito pela chance
de aprender sozinho,
pois contigo um aflito
felino
é vazio na parede
da Arte matriz.

Upload


Enquanto penso, refrigero o meu zero.

setembro 09, 2009

Assoprando para aguentar.

Até onde conseguimos discernir, o único propósito da existência humana é acender uma luz na escuridão da mera existência.

Carl Jung

O mar, a pele.



























O objeto é algo que foge.
Se não está mais aqui, eis o meu objeto de estudo.

The object is something that escapes.
If it is not here anymore,
then there's my object.

Ursinho de Pelúcia


Forma não é tudo.
Forma é o lixo do processo.

Form is not everything.
Form is the trash of the process.

Ph. Bia

setembro 08, 2009

Meu Manuel Bandeira


A vida é amarga
O amor
Um pobre gozo
Hás de amar, e sofrer
Triste lírio franzino,
inquieto, ansioso
Frágil e dolorido.

Trecho de Imagem
Manuel Bandeira.

Nas chuvas repentinas



























Nas chuvas que acendem
gotinhas do oblíquo cinza além mar.
Horizontes afagando
meu rio de águas a cantar.

Foto e dito de Bia.

agosto 04, 2009

Centenário Burle Marx


Roberto Burle Marx foi um dos maiores paisagistas do nosso século, distinguido e premiado internacionalmente. Artista de múltiplas artes, foi também, desenhista, pintor, tapeceiro, ceramista, escultor, pesquisador, cantor e criador de jóias, sensibilidades que conferiram características específicas a toda a sua obra. Nasceu em São Paulo, a 4 de agosto de 1909, passando a residir no Rio de Janeiro a partir de 1913. De 1928 a 1929 estudou pintura na Alemanha, tendo sido freqüentador assíduo do Jardim Botânico de Berlim, onde descobriu, em suas estufas, a flora brasileira.Seu primeiro projeto paisagístico foi para a arquitetura de Lúcio Costa e Gregori Warchavchik, em 1932, passando a dedicar-se ao paisagismo, paralelamente à pintura e ao desenho. Em 1949, com a compra de um sítio de 365.000 m2, em Barra de Guaratiba, no Rio de Janeiro, organizou uma grande coleção de plantas. Em 1985 doou esse Sítio, com todo o seu acervo, à extinta Fundação Nacional Pró Memória, atual Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional - IPHAN. Em 1955 fundou a empresa BURLE MARX & CIA LTDA., pela qual passou a elaborar projetos de paisagismo, fazer a execução e manutenção de jardins residenciais e públicos. Desde 1965, até seu falecimento, contou com a colaboração do arquiteto Haruyoshi Ono.

Joel Nascimento e Hamilton de Holanda:

Hamilton lançará novo cd com o grande Joel Nascimento: "De Bandolim a Bandolim".
Confira capa e uma faixa do cd:

Tu passaste por este jardim, de Catullo da Paixão Cearense/Alfredo Dutra.

Cores de geladeira


Para não perder o costume de pegar no pincel.

Buiaco farpado


Um ângulo no outro ângulo da visão.
ph. B