julho 20, 2010

Sem nada esperar:


Aceitamos os nossos amigos tais como são, mesmo discordando de certos "furos" deixados, quase escritos à mão, em risadas proféticas de alegria.
São nosso braço forte em ventos tempestivos, a voz firme no despertar de objetivos e a palavra doce em chuvas que a tristeza, por vezes, insiste ruir.

Fotos em dias felizes que se multiplicam alegres em mim.

julho 15, 2010

Jaco Pastorius

Compartilhando o que eu estou escutando hoje num dia chuvoso e de muito trabalho.

julho 14, 2010

Sinceridade é Primordial! (será?):

video

Recebi de uma amiga (Gi Freire), preciso compartilhar (sem POBREMAS, né?).
Só para descontrair, um pouquinho de sinceridade não faz tão mal assim...

julho 13, 2010

O Mestre Paulo Moura:

















"(...)Sendo eu de origem africana, nunca tive dificuldade de entender o jazz, sua sensibilidade, sua expressividade blue. Mas, tive dificuldade em ser aceito pela bossa nova. E por isso, sempre tive com ela uma ligação ambivalente, admiração e afastamento. Como uma criação da zona sul do Rio, branca e estilizada, manteve em seus grupos apenas a presença de uma bateria quase estilizada, excluindo ritmos e artistas negros de suas formações. Os instrumentos percussivos, referência ao samba, perderam a vez. Nada de pandeiros, tambores, ganzás... nada que lembrasse a mãe África. Nem mesmo pela cor de seus instrumentistas de sopro, como eu.


Por isso tem um doce sabor de ironia a minha paixão por Gershwin e Jobim. Tão branquinhos, e tão amarrados no sabor negro (...)".

Para mais, CLIQUE AQUI.

Texto extraído do original: "Por que imaginei um encontro entre Gershwin e Jobim?"
Paulo Moura - Programa do SESC São Paulo
06/1998

julho 12, 2010

Dzi Croquettes




A trajetória do irreverente grupo carioca Dzi Croquettes, que marcou o cenário artístico brasileiro nos anos 70. O conjunto contestava a ditadura por meio do deboche e da ironia e defendia a quebra de tabus sociais e sexuais. O grupo é lembrado por depoimentos de artistas e amigos como Liza Minnelli, Ron Lewis, Gilberto Gil, Nelson Motta, Marília Pêra, Ney Matogrosso, Betty Faria, José Possi Neto, Miéle, Jorge Fernando, César Camargo Mariano, Cláudia Raia, Miguel Falabella, Pedro Cardoso e Norma Bengell.

Créditos: Tatiana Issa e Raphael Alvarez
roteiro: Tatiana Issa, Raphael Alvarez
fotografia: Tatiana Issa, Raphael Alvarez
montagem: Raphael Alvarez
elenco
Claudio Tovar, Ciro Barcelos, Bayard Tonelli, Rogerio de Poly, Benedito Lacerda, Gilberto Gil, Nelson Motta, Marília Pêra, Ney Matogrosso, Betty Faria
produtor:
Tatiana Issa, Raphael Alvarez
produtora:
TRIA Productions, Canal Brasil
110 minutos
color e p&b, digital


Victor Brecheret












BRECHERET foi um artista que viveu até meados do século XX e que, embora participante e responsável pelos movimentos artísticos de maior importância no contexto do Brasil de sua época, em momento algum deixou de ser um escultor de formação clássica e ao mesmo tempo um pioneiro até sua morte, o que à primeira vista pode parecer paradoxal.

Clássico na sua formação, na sua técnica extremamente apurada de profundo conhecedor do seu "metier" fundem-se no artista o artesão e o criador de obras monumentais.


Exposição:

Brecheret - Mulheres de Corpo e Alma

Até 25/07/10

A mostra tem como tema os corpos e bustos femininos criados por Brecheret. São 60 esculturas com tamanhos variados.

MUBE, Rua Alemanha, 221, Jardim Europa, São Paulo, 2594-2601 - 10h/19h - Ter. a dom. Grátis!

julho 07, 2010

Dica de hoje:


Bem GELAAAAAAAAAAAAAAAAADA, acompanhada de bons amigos e risadas contagiantes!
Ph. Bia Pêggas
Objeto desejado: "Terezópolis Gold esfumaçando"!
Local: Rua do Ouvidor, num fim de semana de sol com muito samba, em pleno Rio de Janeiro.

julho 06, 2010

Frida COMO LE GUSTA Kahlo






















Hoje, um 06 de julho em que se comemora o nascimento da pintora mexicana Frida Kahlo, sugiro um filme de fotografia belíssima, com direção de Julie Taymor, de 2002.

Em "Frida", o destaque é para a relação complexa e duradoura com seu mentor e marido, Diego Rivera, passando por seu controverso caso com Leon Trotsky e seus provocantes envolvimentos românticos com outras mulheres. Frida Kahlo levou uma vida intensa e sem limites: uma revolucionária política, artística e sexual.